quinta-feira, 14 de dezembro de 2006

A magia mágica do Cinema - Parte 2

Olá Meus Caros!
Como havia prometido há alguuuuuuuuuuuuuuuum tempo atrás, cá estou eu, para proferir alguns dos diálogos que na MINHA opinião foram muito bem escritos e as cenas em si primorosamente dirigidas, o que tornará o que vocês forem ler uma tanto quanto desglamuroso, caso ainda não tenham visto aos filmes.

  • Quatro Casamentos e um Funeral (1994)

Com Hugh Grant. Na realidade não sei se realmente gosto dele, se acho seus papeis divertido, mesmo ele sendo sempre o mocinho paspalhão que faz as coisas erradas, mas é cheio de amor. Ou se isso é somente um reflexo da repulsa que é desenvolvida na adolescência ao gosto de nossos pais, tendo em vista que o meu pai o DETESTA!?! É uma grande dúvida! GRANDE.

Mas, vamos nos conter no diálogo que escolhi. A cena se passa com Andie MacDowell e Hugh Grant, ela fala sobre os homens qua passaram por sua vida e os inumera.

- O primeiro, é claro - difícil de esquecer: Agradável. Dois: pêlos nas costas. Três. Quatro. Cinco. Seis: Foi no meu aniversário. No quarto dos meus pais.
- Que aniversário?
- Dezessete anos.
- Só chegamos aos dezessete?!
- Eu cresci no campo. Montes de feno para rolar. Tudo bem, sete: hummmm. Oito: (faz com os dedos o sinal de alguma coisa muito pequena) infelizmente, foi um choque e tanto. Nove: encostada numa cerca. Muito desconfortável, não tente. Dez: delicioso. Divino. Ele foi maravilhoso...
- Eu o odeio.
- Onze: evidentemente, dadas as circunstâncias, um desapontamento. Doze a dezessete: anos da universidade. Rapazes sensíveis, carinhosos, inteligentes, mas sexualmente falando, uma droga. Dezoito: partiu meu coração. Anos de sofrimento.
- Sinto muito.
- Depois veio o dezenove - que não me lembro, mas minha companheira de quarto afirma definitivamente que nós fizemos, duas vezes. Então, vinte. Meu Deus, não acredito que cheguei ao vinte! Vinte e um: língua de elefante. Vinte e dois: caía no sono a todo instante. Esse foi meu primeiro ano na Inglaterra.
- Sinto muito.
- Vinte e três e vinte e quatro juntos, foi uma coisa...
- O quê??
- Vinte e cinco: um encanto - francês. Vinte e seis: horrível - francês. Vinte e sete: ele não parava de gritar, foi constrangedor. Spencer, vinte e oito... O pai dele, vinte e nove...
- ?!?!
- Trinta: medonho. Trinta e um: oh, meu Deus. Trinta e dois: encantador. E então, meu noivo - trinta e três.
- Nossa! Então eu venho... depois do seu noivo?
- Não, você foi o trinta e dois. Enfim, aí está. Menos do que a Madonna, mais do que a princesa Di, espero. E você? Com quantas já dormiu?
- Cristo, nada que chegue perto disso. A-hã. Francamente, não sei que merda tenho feito com meu tempo. Trabalho, provavelmente - é isso. Trabalho. Tenho trabalhado até tarde...


  • Sonhos de um Sedutor (1972)

Com Woody Allen. O filme é baseda numa peça de teatro que o próprio escreveu, é uma clara "homenagem" a Casablanca, com referências engraçadíssimas. Muito bom mesmo.

E a cena se passa com Woody Allen e uma moça que trabalha num museu.



- Este quadro é de Jackson Pollock, não é?
- Sim.
- O que ele representa para você?
- Ele representa a negatividade do universo. O abominável e solitário vazio da existência. O Nada. A condição do Homem forçado a viver em uma árida eternidade desprovida de Deus, como uma breve chama piscando no imenso vácuo com nada a não ser lixo, horror e degradação, presa em uma inútil camisa-de-força em meio aos cosmos negro e absurdo.
- O que você pretende fazer sábado à noite?
- Cometer suicídio.
- Ahn... E na sexta-feira?


=D~


Ps.1. E não vamos nos esquecer que amanha estréia Xuxa Gêmas em todos os cinemas e já sabem néam, vai ser o XU-XE-SSO! Uhuu!
Ps.2. Não esqueça qualquer dúvida sobre o post não pergunte a mim, corra para sua locadora mais próxima! ;)



See you Later!


2 comentários:

Andrey disse...

não sei pq nesta madrugada me bateu uma depressão repetina, é engraçado são 4 e 07 da manhã e estou dizendo isto...amanhã certamente estarei arrependido ou com vergonha de ter invadido seu blog, sei lá é muito estranho esses momentos, passa mil coisas pela cabeça é um momento "sozinho" meio alone in the dark, escrevendo com coisa que as palavras vão para o espaço...Só sei que faz muito bem ler tudo isto aqui

Jaq' Gimenes disse...

Ow Andrey, sinta-se a vontade pra expressar-se aqui no Estranho Mundo de Jack, porque pelo menos neste mundo não há preconceitos! ;)

Fico feliz que tenha voltado! E espero que não esteja se sentindo tão só! ;)